papa-livros

Bem-vindos!
"papa-livros", título proposto pelos alunos do 9º ano (2007/08), é o "blogue" da BE/CRE da Escola Secundária de Sampaio.
Está aberto à participação de todos (alunos, professores, funcionários e pais/encarregados de educação).
Se quiseres participar, envia o teu texto/imagens para papalivros0@gmail.com

domingo, 20 de dezembro de 2009

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Europa das descobertas e das invenções científicas

Projecto que se centra na redescoberta pelos alunos, através da pesquisa e da realização de actividades experimentais, dos contributos europeus para a evolução da ciência e da tecnologia. No site europeu do projecto está disponível informação (em português) sobre 12 descobertas e invenções científicas europeias e materiais de apoio para professores.

Actividades a realizar nas Escolas

1. Escolha de uma descoberta no site do projecto como base para actividades a desenvolver com os alunos

2. Desenvolvimento de actividades com os alunos em redor da descoberta escolhida e baseando-se nas sugestões no site

3. Criação de um blogue para publicar conteúdos relativos ao projecto (descrição de actividades, experiências de aprendizagem, exemplos de trabalhos dos alunos)

4. Interacção (perguntas, comentários) entre as equipas, portuguesas e / ou francesas, com base nos conteúdos dos blogues criados pelas escolas.

As 12 descobertas
A medição da Terra (Grécia)
A caravela (Portugal)
O pára-quedas (Itália)
As plantas medicinais (Portugal)
A Lua e Júpiter (Itália)
A fotossíntese (Reino-Unido)
O balão de ar quente (França)
O cianómetro (Suíça)
O telégrafo de Chappe (França)
A pilha (Itália)
O extracto de carne (Alemanha)
A pasteurização (França)

ETAPA 1
Identificação das escolas pela coordenação do projecto
ETAPA 2
Concepção das actividades científicas (com base nos textos disponíveis no site do projecto e na comunicação a fazer com a escola parceira).
- Actividades científicas: O professor explora a descoberta com os alunos (questões, dúvidas, identificação das necessidades de informação,.... )
- Comunicação com a escola parceira: apresentação de cada grupo ( texto sucinto sobre cada classe: caracterização do grupo e a perspectiva de desenvolvimento do projecto)
ETAPA 3
- Actividades científicas: pesquisas sobre a vida do cientista, a época e a descoberta com vista a preparar as actividades práticas.
- Comunicação com a escola parceira: envio de textos, desenhos e fotos decorrentes da pesquisa documental e das ideias para as a realização das actividades práticas.
ETAPA 4
- Actividades científicas: desenvolvimento de actividades na sala de aula.
- Comunicação com a escola parceira: partilha de resultados e conclusões
ETAPA 5
- Continuação das actividades
- Comunicação com a escola parceira: de acordo com a decisão de cada escola -->Sites do projecto
Mais informações em:

http://www.lamap.fr/europe

Concurso Nacional de Leitura

Na 4ª edição do Concurso Nacional de Leitura, inscreveram-se 44 alunos do Básico e 17 do Secundário. Recordamos a todos que as provas da 1ª fase terão lugar no dia 11 de Janeiro de 2010, pelas 14h30min., na BE ou em sala a indicar.
Até lá, boas leituras e um Feliz Natal!

Memórias da minha infância

A minha infância foi a melhor fase da minha vida até aos dias de hoje. Era uma criança muito alegre e vivi coisas que hei-de sempre guardar na memória, para, sempre que queira, poder recordar os melhores momentos que a vida me deu.
Nessa idade tudo era mais fácil, uma vida sem complicações. Quando tinha três anos, vivia com a minha avó, numa outra cidade. Os meus pais nem sempre estavam presentes, pois tinham obrigações a cumprir. Mas ela, ela estava sempre comigo. Foi, e felizmente ainda o é, uma pessoa que sempre admirei, pois tendo vários problemas de saúde e sendo viúva, nunca a ajudaram. Contudo, tinha dentro dela uma força tremenda, que parecia inesgotável. Sempre tive grande carinho por ela, e ela sempre me ajudou a ser feliz, em todos os momentos. Íamos passear pelo campo, ia buscar-me ao jardim de infância e, desde que eu me portasse bem, poderíamos percorrer o mundo todo.
Foram grandes vivências, embora nem todos os momentos tenham sido maravilhosos. Chegou o dia em que tive de me separar da minha avó. Os meus pais queriam vir para Lisboa e eu nada pude fazer contra isso. Perguntei a mim própria tantas vezes: "Porquê? Por que vou ter de separar-me de uma pessoa que sempre amei? Que sempre esteve do meu lado em todos os momentos?" Eu não sabia viver sem uma pessoa que desde sempre estivera comigo. Foram momentos muito tristes. No dia da despedida, chorei desalmadamente, mas teve de ser assim. Não queria ser mais criança, queria ser adulta para poder dizer "não, eu quero ficar aqui! O meu lugar é este, ao lado de quem sempre esteve comigo", mas não pude, como é óbvio...
Hoje já aprendi a ter de viver sem ela por perto, mas, faço tudo para ir buscá-la para ficar comigo uns dias ou ir para casa dela nas férias. Ainda me lembro da promessa que lhe fiz: "eu vou, não porque queira, mas porque tenho de ir, nunca te esqueças que te adoro e que, um dia, quando acabar o meu curso, se tudo correr bem, virei viver contigo e fazer toda a minha vida , contigo aí, do teu lado, como sempre vivi".
São memórias que quero sempre relembrar. Momentos que não se esquecem.

Raquel Castro (10º ano)
(texto entregue pela professora Alda Gago)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Cidades imaginárias

Eis os desenhos dos alunos do 9º A e do 9º B, orientados pelas professoras Ana Completo e Mariana Alves de Educação Visual:


sábado, 12 de dezembro de 2009

Concurso "Faça lá um poema"

O concurso "Faça Lá um Poema" é uma iniciativa conjunta do Plano Nacional de Leitura e do
Centro Cultural de Belém e decorrerá entre Dezembro de 2009 e Março de 2010, destinando-se
a premiar poemas escritos por alunos do Ensino Básico e Secundário.


As escolas dos alunos premiados serão contempladas com um conjunto de livros.

Os trabalhos premiados serão divulgados no Sítio dos Concursos do Portal do PNL e do CCB – Centro Cultural de Belém.

Os premiados serão convidados a apresentar pessoalmente os seus trabalhos na cerimónia pública de entrega dos prémios, a realizar em 21 de Março de 2010 (Dia Mundial da Poesia) no CCB – Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Os encargos com o transporte e alojamento dos premiados serão da responsabilidade da organização do concurso.

Os prémios a atribuir aos três primeiros classificados de cada nível de ensino serão anunciados oportunamente.

O prazo para o envio dos poemas termina no dia 1 de Fevereiro de 2010.

Não há qualquer tema obrigatório para os poemas a concurso. No entanto, recomenda-se que a extensão máxima de cada texto não ultrapasse os 4000 caracteres, incluindo espaços.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Feira do Livro

A BE-CRE, em colaboração com o grupo de Português e a livraria "Ronda das letras", retoma uma tradição antiga: realizar uma feira do livro na escola.
De 23 a 27 de Novembro, na sala da Associação de Estudantes, das 10h às 17h, podes aproveitar para folhear as novidades mais recentes e alguns títulos mais antigos e/ou comprar livros com 15% de desconto.

Concurso Nacional de Leitura

Já estão abertas as inscrições para a 4ª edição do Concurso Nacional de Leitura. Podes consultar o regulamento numa das vitrinas da BE-CRE ou junto do teu professor de Português.
Os livros propostos são os seguintes:
Básico - O cavaleiro da Dinamarca, A lua de Joana, Caça ao tesouro no espaço e A biblioteca mágica;
Secundário - Um crime no expresso do Oriente, O rapaz do pijama às riscas, O Malhadinhas e Dom Casmurro.
Inscreve-te até 30 de Novembro. As provas realizar-se-ão no dia 11 de Janeiro de 2010.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Dia de São Martinho

Hoje é dia de S. Martinho. Para assinalar a data, os alunos do 7º e do 8º ano escreveram quadras que estão expostas no átrio inferior da Biblioteca. Eis as imagens da exposição:
















quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Astérix fez 50 anos

Astérix, o gaulês, completou este mês 50 anos!
Foi a 29 de Outubro de 1959 que René Goscinny e Albert Uderzo deram a conhecer a aldeia de Astérix, nas páginas da revista francesa Pilote.
O primeiro volume, intitulado Astérix, o Gaulês, que saiu em 1961, apresenta-nos um pequeno gaulês de bigode farfalhudo que tinha como grande amigo Obélix, uma personagem desajeitada e simpática, com uma força gigantesca, que adora comer javalis. Os dois amigos habitam numa aldeia que resiste às investidas militares dos romanos, dirigidos por Júlio César, graças a uma secreta poção mágica inventada pelo druida Panoramix.Entre outras personagens que povoam o imaginário criado por Uderzo e Goscinny contam-se ainda Abraracourcix, o chefe da aldeia, o bardo Assurancetourix e o pequeno cão Ideiafix.
Para assinalar os 50 anos de Astérix, a 22 de Outubro, em 19 países europeus, ocorreu a publicação em simultâneo, do álbum O Aniversário de Astérix e Obélix – O Livro de Ouro, com uma tiragem total de 3,5 milhões de exemplares.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Os mestres da fotografia (2)


No final do ano lectivo 2008/09, expusemos algumas fotografias de Robert Doisneau. Agora, e tal como tinha sido prometido, é a vez de Sebastião Salgado, um fotógrafo brasileiro.

"A sua actividade como fotógrafo leva-o a percorrer todo o mundo, desde as plantações de chá no Ruanda aos poços de petróleo do Afeganistão, sempre em busca de retratar as diferentes manifestações da cultura e da vida humana. Os seus temas preferidos são as populações em deslocação, as migrações determinadas por conflitos, os refugiados. Para Sebastião Salgado, cada ser humano, cada corpo transmite uma história que pode ser contada e fixada numa imagem. A este entendimento do trabalho enquanto militância não foi estranha a sua formação como economista."
Eis uma das cinco fotografias que fazem parte da exposição patente numa das vitrinas exteriores da BE-CRE:

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Ciência na escola


Plataforma online de gestão de aprendizagem e trabalho colaborativo e uma vasta base de recursos didácticos, num formato acessível e de fácil aprendizagem para professores e alunos. Também há recursos disponíveis para História e Filosofia.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Acrósticos de Outono

Eis os acrósticos criados por alunos do 8º C (Bernardo, Carlos, Catarina, Gonçalo, Luminita, Mafalda, Maria Carolina, Mariana, Simone e Sofia) sob a orientação da professora Elsa Oliveira:





























Ler é nunca estar sozinho

"Biblioteca" de Maria Helena Vieira da Silva

Ainda a propósito de livros e do verbo ler, chegou-nos este texto escrito pela professora Alda Gago:

"Considero a aprendizagem da leitura e da escrita um bem inigualável.
Recordo-me de livros que me encantaram quando era criança: contos de fadas , príncipes e princesas onde havia sempre um monstro a enfrentar e vencer. Esses eram livros com ilustrações muito coloridas, capa rija e folhas branquinhas onde eu decifrava a mancha negra da impressão duma vez só, até que todas as histórias fossem desvendadas.
Poucos anos mais tarde li e reli Os Desastres de Sofia da Condessa de Ségur, as aventuras dos Cinco, os livros de Odette de Saint-Maurice. Foi com os seus protagonistas que desenvolvi o gosto pelo passatempo mais cativante que até hoje encontrei – a leitura.
Pela vida fora fui tendo provas de que saber ler e gostar de ler é a melhor forma de amenizar momentos difíceis, momentos de solidão, momentos em que o tempo teima em não passar, mas que um bom livro poderá fazer voar.
Quando hoje me perguntam qual o livro da minha vida, não sei responder.
Em todos descobri coisas novas, com todos fiquei mais rica de emoções e sensibilidade.
É espantoso como me emociono com a actualidade d' Os Lusíadas ou qualquer peça de Gil Vicente. É delicioso ter uma panorâmica da sociedade rural do século dezanove através da obra de Júlio Dinis ou das intrigas citadinas através do olho clínico de Eça. É fantástico ler a prosa de António Vieira e deslumbrante ver como Saramago elogia o povo anónimo no seu Memorial do Convento. É fabuloso descobrir a genialidade de Pessoa, através da sua poesia.
Aos que não descobriram ainda o prazer da leitura, direi que também eu pus muitos livros de lado ou os deixei a meio. Mas isso não pode ser sinónimo de desistência, porque , tenho a certeza, haverá sempre um livro, o tal livro que nos prenda e nos cative de tal maneira que será ele a dar início à grande paixão pela leitura."

"Um livro é uma janela pela qual nos evadimos", Julian Green (2)






"Muitas pessoas estão habituadas à «cultura» do futebol ou da vizinha do 3º esquerdo, não conhecem autores nem mesmo os títulos dos livros; porém, sabem tudo sobre a vida das celebridades, falam de quem casou com quem, daquele que se separou, do filho que é da outra. Têm teorias sobre tudo, mesmo quando desse tudo percebem nada."

José Marques, 10º B

"Ler um livro é ser espectador de um mundo à parte, de uma história de amor, de uma tragédia, de uma aventura..."

Daniela Gomes Coiteiro, 10º B

"Hoje em dia são poucos aqueles que têm tempo. Há sempre trabalho, sempre prazos a cumprir, sempre coisas a fazer. As pessoas acordam de manhã e, quando dão por si, é noite novamente, com todas as obrigações do amanhã. Por vezes, há necessidade de fugir à rotina e à monotonia. E é aí que os livros entram..."

Maria Inês Caupers, 10º B

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Sugestões de leitura

Eis as nossas sugestões de leitura para Outubro. São as novidades que adquirimos: o 3º volume da trilogia Millenium de Stieg Larsson -se leste os anteriores, prepara-te para mais 715 páginas viciantes; o best-seller internacional As suspeitas do Sr. Whicher e a continuação de A chave secreta do universo. Mas há mais, muito mais! Recebemos vários títulos oferecidos pelo SABE (Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares) da Biblioteca Municipal de Sesimbra. Entre eles, destacamos:




República nas escolas

Eis o "sítio" oficial das comemorações do centenário da República. Sugestões para actividades, concursos, cronologia, símbolos da República, a República de A a Z e outros constituem o "menu". A seguir ao longo de 2010...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Mafalda (Quino) fez 45 anos

A pequena Mafalda fez 45 anos
A primeira história de Mafalda foi publicada a 29 de Setembro de 1964. O seu criador, o argentino Quino, pensara pela primeira vez na menina contestatária dois anos antes, para uma campanha publicitária da marca de electrodomésticos Mansfield que nunca chegou a ver a luz do dia.
Fonte: Público
 

Centenário da República


Eis uma informação que poderá ser útil (sobretudo para os professores de História). Ver mais em: http://cvc.instituto-camoes.pt/primeira-republica-e-republicanismo.html.

Outubro, Mês das Bibliotecas Escolares


Outubro é o Mês Internacional da Biblioteca Escolar, este ano subordinado ao tema "School Libraries: The Big Picture". Em breve, e como forma de assinalar este mês, estarão disponíveis para oferta, na BE-CRE, marcadores de livros.

Uma aventura


Eis um "sítio" que aconselhamos aos leitores da colecção Uma aventura e também aos professores de Português e de História. Sugestões e materiais em linha que podem ser usados na sala de aula.

Noites de Galileu

Ainda no âmbito do Ano Internacional da Astronomia, em Outubro realizam-se as "Noites de Galileu". Estão disponíveis "on-line" alguns recursos que podem ser utilizados em sala de aula:

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

"Um livro é uma janela pela qual nos evadimos", Julian Green

"Um livro é uma janela pela qual nos evadimos", frase do escritor Julian Green foi o mote proposto pela professora Alda Gago aos seus alunos do 10º ano. Eis algumas das "voltas":

"A persistência é importante se queremos experimentar o prazer e todas as emoções que os livros nos proporcionam. E acreditem que vale a pena!"
Manuel Fortunato, 10º D

"Um livro é um bom amigo, é um coração de emoções, alegria, um objecto muito mais que objecto. Para mim, é mesmo um ser humano, não um ser humano com quem falamos, mas sim um que fala connosco e nos transmite sabedoria."

Gonçalo Gomes, 10º D

"Com os livros aprendemos histórias de vida, aprendemos lições e, nalguns, relembramos a nossa infância e voltamos a experimentar sentimentos que já nem nos lembrávamos que tínhamos."

Joana Saramago Cravo, 10º D

"Um livro é aquele amigo sábio que nos ensina."

Gabriel Santos, 10º D

"Se fosse falar na janela do meu cérebro reservada para os livros, ficaria envergonhado... Uma pequena janela, mesmo muita pequena, com três cadeados, cada um mais forte que outro..."

Afonso Pólvora, 10º D

"Um livro tem sempre algo para nos ensinar, por isso, até os sábios queriam sempre ler mais e mais, pois sabiam que ler é aprender e aprender nunca é demais."

Raquel Castro, 10º C

"Os livros são terapêuticos! Quandos estamos mal e nos entregamos à leitura tudo parece melhorar."

Leonor Sacramento, 10º C

"A leitura é, para mim, uma forma de fechar as portas ao mundo e abrir outras para a pequena grande história que aí vem, expandindo, assim e ainda mais, os meus horizontes."

Joana Marques, 10º C

"Nos livros cada janela encerra um segredo que o leitor deve desvendar -um amante esquecido ou um assassino fugido. Temos o dever de abrir todas as janelas, libertar as personagens e realizá-las."

Sara Miranda, 10º C

"Os livros abrem as janelas na minha imaginação, convidam-me a sair do mundo onde estou e a entrar no mundo da fantasia onde tudo é possível."

Soraia Pólvora, 10º C

"Um livro não é algo que se deva ler aos pares, podemos partilhar a história, mas vivê-la e apreciá-la é algo de nós próprios."

Ana Cunha, 10º C

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

sábado, 18 de julho de 2009

Duas exposições a não perder

Legenda: "A Leitura", 1870, Museu Calouste Gulbenkian

Henri Fantin-Latour (1836-1904)


De 26/06/2009 a 06/09/2009
Das 10h00 às 18h00
De Terça a Domingo
Galeria de Exposições da Sede da Fundação Calouste Gulbenkian

"Primeiro em Lisboa, depois em Madrid, esta exposição, organizada em parceria com o Museu Thyssen Bornemisza, apresenta cerca de 60 pinturas e alguns desenhos preparatórios agrupados em várias secções distintas. Seguindo a cronologia de produção do autor, são mostrados: auto-retratos, cópias executadas pelo pintor no Louvre, retratos intimistas, naturezas-mortas da sua fase de juventude, estudos e leituras, retratos de artistas e escritores seus contemporâneos, bouquets de rosas e flores diversas, temas associados à música, retratos austeros e retratos familiares, temas simbolistas e, finalmente, naturezas-mortas da fase de maturidade."
Comissário: Vincent Pomarède (Museu do Louvre)
Entrada: 4€



_Encompassing the Globe. Portugal e o Mundo nos séculos XVI e XVII

MNAA (Museu Nacional de Arte Antiga) 16 Julho - 11 Outubro 2009
"Um total de cerca 200 obras – Cartografia, Marfins, Imaginária, Desenho, Gravura, Escultura, Pintura, Plumária e Ourivesaria – serão reunidas em Lisboa provenientes de prestigiadas colecções públicas e privadas. Para além das peças oriundas de colecções particulares, destacam-se, entre muitas outras, as cedências de obras pelo Staatliches Museum für Völkerkunde, Munique, o Staatliche Kunstsammlungen, Dresden, o Kunsthistoriches Museum e o Albertina Museum, Viena, o Musée Royal de l’Afrique Centrale, Bruxelas, o Museu do Louvre, Paris, o Nationalmuseet da Dinamarca, o Património Nacional de Espanha, o Museum Boijmans van Beuningen, Roterdão, a British Library, o Victoria and Albert Museum e o British Museum, Londres, Biblioteca Nazionale Centrale, Florença, Biblioteca Casanatense, de Roma, o Museu do Hermitage, S. Petersburgo, os Museus do Kremlin, Moscovo, o Museu de Arte Sacra de S. Paulo, Brasil, e muitos outros museus e colecções particulares nacionais.Acresce a este elenco alguns dos Tesouros Nacionais de Portugal, cuja cedência para o estrangeiro se desaconselha - os painéis quatrocentistas de S. Vicente, a Custódia de Belém e a rara série de biombos Nambam – que irão cotejar um importante conjunto de objectos inéditos provenientes de outras colecções portuguesas.A exposição Encompassing the globe. Portugal e o Mundo nos séculos XVI e XVII em Lisboa constituirá um acontecimento único de grande relevância histórica e civilizacional que, celebrando a(s) Arte(s) e a(s) Ciência(s), homenageia o desenvolvimento das relações internacionais, o advento do diálogo inter cultural, afirmando uma visão inovadora e seminal, emanada de um exterior distante e diferente – o Novo Mundo - que, inevitavelmente, enriquecerá e desafiará as perspectivas de observação de Portugal e da Europa.Iniciativa potenciadora do aumento do fluxo de turismo cultural, esta exposição concorrerá para a afirmação de Portugal hoje no Mundo, como país que, conhecedor do valor da sua consciência identitária, contribui para um mais nítido e consistente espaço europeu da cultura, da cidadania e do diálogo.Portugal, através do Museu Nacional de Arte Antiga, apresenta a todos os visitantes, nacionais e internacionais, o melhor da produção cultural que demonstra, uma vez mais, o seu papel como produtor e produto de boas práticas de comunicação global, sua matricial vocação identitária, através dos registos históricos de natureza científica, artística, cultural e comercial.Este movimento cumpriu-se da Europa para o Mundo e deste para a Europa, para onde os portugueses sempre trouxeram, entre o século XV e a actualidade, essa riqueza primordial que é a imensa diversidade humana."

quarta-feira, 8 de julho de 2009

1º Centenário da República

http://www.primeirarepublica.org/portal/

Eis parte do texto que apresenta este portal dedicado ao 1º centenário da República:

"O portal www.primeirarepublica.org constitui um espaço dinâmico de divulgação e comunicação, dedicado não só a uma população especializada e especificamente interessada na análise e no estudo da I República, mas capaz de interagir com a sociedade em geral, em nome da promoção do debate e de uma cultura científica de base histórica fomentando o respeito pela cultura, pela memória e pelo património material e imaterial da República e do republicanismo. É, por isso, um espaço aberto e em construção. Os conteúdos publicados são de natureza muito diversa, combinando informação especificamente elaborada sobre a história da I República, em que se incluem, actas de debates parlamentares, referências bibliográficas, legislação, fotografias e outro material iconográfico. A sua recolha, selecção e organização decorrem do desenvolvimento de um trabalho de investigação organizado e estruturado em bases científicas prosseguindo uma metodologia de natureza essencialmente histórica."